Voltar a Notícias

.......

 

 

O que muda na empresa, quando chega a pesquisa de clima?

Por Patrícia Bispo para o RH.com.br 

Em qualquer que seja a fase vivenciada pela organização, um fato sempre será relevante para a obtenção de resultados positivos: que os dirigentes corporativos saibam o que acontece no dia a dia dos colaboradores, ou seja, compreendam que a vida das empresas começa quando as portas das suas aconchegantes salas abrem-se para a realidade vivenciada pelas pessoas que concretizam cada etapa dos processos de gestão. Mas como ter uma visão tão realista, se muitos executivos possuem agendas tão atribuladas e poucos são os que conseguem tempo para dar uma circulada nos corredores de suas próprias companhias?

É nesse momento que a área de Recursos Humanos entra em ação, através de uma ferramenta valiosa e capaz de identificar os pontos fortes, bem como aqueles que precisam ser melhorados e até mesmo substituídos, para que não ofereçam riscos aos ganhos corporativos. Estamos nos referindo à conhecida Pesquisa de Clima Organizacional (PCO) que, dependendo da realidade da empresa pode ser adaptada às necessidades da companhia e, assim, oferecer resultados mais legítimos aos dirigentes.

Uma empresa que aposta no suporte que a pesquisa de clima é capaz de dar à Gestão de Pessoas é a PC Sistemas - companhia que pertence ao Grupo TOTVS e que atua na gestão do atacado-distribuidor, atendendo a diversos segmentos deste setor, como mercearil, material de construção, farma, frios, autopeças, cosméticos, higiene e limpeza.

De acordo com Janaína Moreira, gestora de Talentos Humanos da PC Sistemas, a pesquisa de clima foi instituída desde 2011 e isso ocorreu justamente porque a companhia desejava avaliar como seus colaboradores percebiam o ambiente interno, bem como ter uma visão dos resultados obtidos a partir das ações que eram implantadas internamente. "Queríamos também ouvir e medir o quanto estávamos sendo assertivos. Isso nos levou a ter uma visão ampliada, um canal de comunicação onde os colaboradores podiam falar o que pesavam e, em contrapartida, termos um norte dos próximos passos para trilharmos, sempre pensando no bem-estar de todos", argumenta.

Esta ferramenta de gestão tem como público-alvo todos os colaboradores, é coordenada pela área de Talentos Humanos, porém o parceiro responsável pela aplicação da pesquisa de clima é o Instituto Great Place to Work (GPTW). A periodicidade de aplicação da metodologia é anual e os trabalhos sempre são iniciados a partir do mês de fevereiro. Ano passado, Janaína Moreira explica que a PC Sistemas também participou da pesquisa de clima interna que é promovida pelo corporativo (Grupo TOTVS). A partir de agora, essa última passará a ser aplicada no mês de novembro, também com periodicidade anual.

Etapas da Pesquisa - A pesquisa da PC Sistemas é composta por cinco etapas:  a inscrição no GPTW; o envio dos questionários para todos os colaboradores com mais de três meses de "casa", onde são avaliados itens como, por exemplo, credibilidade, respeito, imparcialidade, orgulho, camaradagem, e pesquisa com grupo focal. "A consultora do GPTW faz uma avaliação com pessoas que representem, de forma amostral, a empresa e indaga sobre alguns resultados do questionário para entender melhor o que está acontecendo na empresa, além de disponibilizar o resultado e a premiação que indica se a empresa como sendo uma das Melhores Empresas para se Trabalhar", explica Janaína Moreia, ao acrescentar que todo o processo dura cerca de aproximadamente cinco meses para ser concluído.

Depois que a organização recebe a pesquisa de clima, o Instituto GPTW agenda uma reunião com os gestores, apresenta os resultados e propõe as áreas que devem ser focadas e trabalhadas. "A nossa a analista de Talentos Humanos, Lorena Silva, responsável no departamento de RH em acompanhar este processo, prepara uma apresentação por área, repassa  as informações e com os gestores traça o plano de ação para a implantação de melhorias até que a próxima pesquisa seja realizada. Esse trabalho é acompanhado mensalmente por nosso diretor executivo, Ronan Maia, o que faz muita diferença para o engajamento e o comprometimento de todos", enfatiza Janaína Moreira.

Divulgação da Pesquisa - Depois que a PC Sistemas recebe a compilação dos dados da pesquisa, em um primeiro momento, o departamento de Recursos Humanos reúne, formalmente, as principais lideranças e compartilha os dados obtidos. Juntos, esses profissionais fazem as análises, as identificações de pontos-chave, conversam sobre as possibilidades de ações e é realizado um alinhamento de como todos vão transmitir as informações para os colaboradores.

Em uma segunda etapa, os líderes compartilham as informações da pesquisa por departamento, esclarecem as ações de melhoria e como serão desenvolvidas ações para melhorar o cenário interno. Nesse momento, todos podem participar, sugerir e tirar dúvidas. "Estamos caminhando, temos muitos desafios, mudanças de gestão, cenários econômicos diferentes, mas entendemos que o foco é lembrarmos sempre das pessoas, pois são elas que fazem tudo acontecer. Sem nossos talentos somos apenas um prédio que não produz resultado algum", reflete a gestora Janaína Moreira.

Mudanças que Surgiram - Desde que a pesquisa de clima passou a fazer parte da empresa, as mudanças começaram a acontecer na PC Sistemas. "Como somos uma empresa jovem, com o público conectado, recentemente pensamos numa maneira de conciliar o trabalho e a vida pessoal dos nossos colaboradores. Implantamos o horário flexível, por já ser uma prática corporativa do Grupo TOTVS e ter percebido essa necessidade na pesquisa de clima. Outra iniciativa que passamos a ter foi o Casual Day - toda sexta-feira os colaboradores podem se vestir de maneira informal. Aderimos ao guarda-roupa masculino, por exemplo, a bermuda", pontua Janaína Moreia, ao acrescentar que, atualmente, a organização trabalha os cinco pilares relacionados à Gestão de Pessoas, identificados através da pesquisa: culturalizar o feedback; influenciar pessoas; motivar talentos; compreender a si mesmo e ao outro; e valorizar pessoas. Vale mencionar que o setor de RH atua como consultoria interna, apoiando todos os gestores executivos, para que esses pilares sejam trabalhados de forma sustentável.

Os Benefícios Gerados - Ao ser questionada sobre os benefícios gerados depois da adoção da ferramenta, Janaína Moreira faz questão de frisar que a pesquisa tornou-se um dos canais de comunicação do colaborador. Através dela, a PC Sistemas acessa o que está sendo realizado de maneira assertiva e o que precisa ser melhorado. O grande benefício, contudo, é saber exatamente os pontos focais de intervenção organizacional por área. "Entendemos que nossos valores e a confiança dos nossos colaboradores faz de nós uma excelente empresa para se trabalhar. Ao longo desses cinco anos, passamos por processos de mudanças, a partir dos quais nós tivemos que nos reorganizar. Ano após ano temos novos desafios, mas nunca perdemos o foco nas pessoas que são nossa razão de ser", finaliza.

Fonte: http://www.rh.com.br/Portal/Motivacao/Materia/10116/o-que-muda-na-empresa-quando-chega-a-pesquisa-de-clima.html?utm_source=boletim&utm_medium=email&utm_campaign=761#

 

 


Copyright 2011-2012 - Todos os Direitos Reservados - Images by Free Digital Photos